Futebol Brasileiro

Ex-lateral da Seleção Sub-20, Thiago Ryan desabafa em rede social: 'Não larguei o futebol'

Jogador, que é cria do Fluminense, falou com exclusividade ao Esporte Interativo e relatou as dificuldades para conseguir estabilidade na carreira

Futebol Brasileiro POR Futebol Brasileiro
Ryan disputou o catarinense deste ano pelo Metropolitano (Foto: Divulgação)
Ryan disputou o catarinense deste ano pelo Metropolitano (Foto: Divulgação)

por ÉROS MENDES

Por ser o esporte mais popular do país e, para alguns, proporcionar um mundo glamuroso, além de ótimos salários, o futebol, naturalmente, é o desejo de carreira de muitas pessoas. No entanto, no Brasil, o universo milionário dos artistas da bola é frequentado por poucos, já que a maior parte dos jogadores lida com uma realidade difícil em clubes de menor expressão, longe dos holofotes, com poucos jogos no calendário, e em alguns casos até mesmo sem receber salários.

Flamengo, Palmeiras, Santos e Cruzeiro! Esse é o G4 do censo do Esporte Interativo. Clique e ajude seu time a subir na tabela!

Prova disso é que segundo levantamento feito pela revista Época, de 28.203 atletas com registro na CBF em 2015, 23.238 (82,4%), recebiam somente até mil reais mensais. Dessa forma, na última segunda-feira (10), um desabafo na redes sociais feito pelo lateral Thiago Ryan chamou a atenção. O jogador de 25 anos, que é cria do Fluminense e também teve passagens pela Seleção Sub-20, publicou um texto, em tom de desabafo, afirmando que apesar das dificuldades, não abandonou o futebol.

Jogador desabafou em rede social (Foto: Reprodução)
Jogador desabafou em rede social (Foto: Reprodução)

“Pra quem me pergunta, pra quem tem vontade de perguntar ou pra quem acha. Não. Eu não larguei o futebol ! Infelizmente eu e muitos amigos de profissão estamos desempregados. Pra quem acha mesmo que a realidade do futebol é ganhar milhões, comprar carrão e morar em mansões. Está enganado! A realidade infelizmente é você jogar uma competição durante 4 ou 5 meses no início do ano e no restante não saber se continuará fazendo o que ama. É você trabalhar duro e não receber pelo seu suor.(mesmo sendo um salário baixíssimo!) É ser enganado por pessoas que infelizmente brincam com os sonhos das pessoas. Meus amigos, o sonho de toda criança que é ser jogador de futebol não é nada fácil. Não são só pedras no caminho. São montanhas, ondas, muralhas… Muita coisa envolvida!Você realmente tem que lutar bastante. Mas é como dizem, “tudo que você conquista com dificuldade é mais gostoso, mais prazeroso”. Por esse motivo que respondo para as pessoas. NÃO! EU NÃO LARGUEI O FUTEBOL, NEM O FUTEBOL ME LARGOU. Vivemos uma história linda desde quando eu tinha 4 anos de idade, quando comecei a jogar na escolinha do Clube dos médicos.  E não vou parar por coisas pequenas.  Já enfrentei coisa piores e venci.  O que é meu tá guardado”.

Nos últimos anos, Ryan atuou por equipes como Tupi-MG, Resende-RJ, Videoton (Hungria) e Bonsucesso-RJ. Na atual temporada, disputou o campeonato catarinense pelo Metropolitano, mas desde o término da competição, em abril, está sem clube. Em conversa exclusiva com o Esporte Interativo, o jogador comentou sobre o desabafo, a dificuldade de consolidação na carreira, e também detalhou as adversidades enfrentadas no ‘submundo do futebol’.

Confira abaixo a entrevista completa:

Ryan (à direita, em cima) teve passagens pela Seleção Sub-20 em 2010 (Foto: Divulgação)
Ryan (à direita, em cima) teve passagens pela Seleção Sub-20 em 2010 (Foto: Divulgação)

Esporte Interativo: Embora o assunto tenha sido debatido com certa frequência nos últimos tempos, muitas pessoas ainda não têm noção da realidade da maior parte dos jogadores brasileiros. Como é a rotina de atletas que atuam em times de menor expressão? É possível viver somente do futebol ou as vezes é necessário conciliar com outras atividades?

Thiago Ryan: O futebol brasileiro está muito complicado quando se trata do segundo semestre. No início do ano, o atleta joga o estadual, que são quatro ou cinco meses, se for até a fase final, e depois disso o jogador fica desempregado. São atletas que tentam jogar pelo menos o ano inteiro, para fazerem o que amam. Eu não sei exatamente o que é, se é o calendário, mas infelizmente é a realidade do futebol brasileiro. E sim, é necessário conciliar algumas outras coisas para ter uma fonte de renda, porque na maioria das vezes os clubes pequenos pagam pouco, e as vezes nem pagam. Aí o jogador fica sem ter de onde tirar. No meu caso, por exemplo, consegui criar uma marca de roupa, que me ajuda bastante nesta questão financeira. Mas eu, como tantos outros atletas, sonhamos em viver somente do futebol.

Esporte Interativo: Sabemos que em muitos casos, nem tudo o que está previsto em contrato é cumprido. E mesmo aos 25 anos, você acumula passagens por inúmeros clubes brasileiros e também do exterior… já passou por alguma situação nesse sentido, especialmente em relação a salários?

Thiago Ryan: Não só eu, mas muitos jogadores vivem esse problema de irem para os clubes e sofrerem com atraso de salário. Isso já virou rotina na maioria dos clubes brasileiros. É muito chato. A gente trabalha para chegar no fim do mês e não receber. Ou então, não pagam décimo terceiro, férias… tudo isso que temos direito.

Esporte Interativo: Você foi considerado uma joia de Xerém, tanto é que acumulou passagens pela Seleção Sub-20. Mesmo com as dificuldades, qual é a expectativa para a sequência da carreira? Tem algum jogador que você segue como inspiração, especialmente por ter superado barreiras e  conseguido sucesso?

Thiago Ryan: Graças a Deus a minha base no Fluminense foi muito boa, tenho muito o que agradecer ao clube. Foi o time que abriu portas para mim, tanto no Brasil, quanto fora. Tive a oportunidade de estar na Seleção Sub-20 em três convocações, mas mesmo com essa dificuldade atual, de pegar sequência de jogos em algum clube, a minha expectativa é a melhor. Estou esperando e torço para no início do ano já ter algum clube para poder seguir a carreira. Muita gente me pergunta se eu parei, mas não vou desistir. Já venci muita coisa e essa será somente mais uma barreira que vou ultrapassar, por isso estou me preparando bastante para manter a forma, apesar de não estar empregado. Em relação a exemplo de jogadores que passaram por dificuldades, o Cafu, que também foi lateral, é o mais conhecido, por ter passado por inúmeras peneiras e nunca ter desistido. Pelo contrário, a cada peneira que ele era rejeitado, ele levantava a cabeça e tinha ainda mais força para superar. Por isso jogou Copa do Mundo, foi capitão e ganhou inúmeros títulos.

A cobertura completa sobre o futebol brasileiro você confere nos canais Esporte Interativo

Bernardo diz ter arrependimento por situações extra-campo: ‘acordei para a vida’

 

 

 

 


Notícias

Futebol Brasileiro

Programação da TV

Fundamos o Esporte Interativo em 2007 para ser uma empresa dedicada a produzir e distribuir conteúdo esportivo em múltiplas plataformas e para estar perto do apaixonado por esportes, onde ele estiver. Por isso, falamos com a linguagem do torcedor, com paixão e emoção. Foi assim que escolhemos e nos orgulhamos dessa decisão, em todas as mídias que estamos presentes.

© 2014 ESPORTE INTERATIVO. Todos os Direitos Reservados.

Powered by WordPress.com VIP
 ;