Futebol Brasileiro

Valdivia explica conversas com Santos e deixa em aberto nova negociação

Meio-campista tem vontade de trabalhar novamente com Dorival Júnior e sabe de possível cobrança da torcida do Palmeiras

Futebol Brasileiro POR Futebol Brasileiro
Atualmente, Valdivia defende o Al Wahda-EAU (Foto: Getty Images)

Na última semana, tornou-se pública a negociação entre Santos e Valdivia. Especulou-se que um possível acordo não se concretizou por conta de alguns pedidos do meia, como teto salarial e tempo de contrato. Para expor sua versão, o chileno, ao Globoesporte, explicou como foram as conversas com o presidente do Peixe, Modesto Roma Júnior.

Leia também outras matérias especiais para o aniversário do Santos:

Santos 105! Como um volante foi fundamental para o Peixe ser o time com mais gols no mundo

Santos 105! Onde o raio cai mais de uma vez no mesmo lugar

Santos 105! O dia em que uma guerra foi interrompida para ver o Peixe jogar

“Não gosto muito de dar entrevista, mas estou cansado de ver tanta mentira sobre mim. Publicaram que eu teria irritado a diretoria do Santos por, supostamente, ter aceitado uma oferta e, logo depois, pedido mais dinheiro para pressionar o clube, já que a janela iria fechar. E até chegaram a escrever que eu receberia o salário no valor do teto do clube. Erraram no suposto tempo de contrato, erraram nos valores, erraram ao falar que eu teria aceitado e depois mudado a oferta. Por isso resolvi falar. Não quero atacar ninguém, apenas contar a verdade e o presidente Modesto sabe o que foi conversado entre nós”, disse.

Além de revelar como as tratativas foram conduzidas, Valdivia deixou em aberto nova negociação e agradeceu pelo contato do Santos. “Uma pessoa de minha confiança me ligou informando sobre a possibilidade de jogar no Santos. Como sempre faço, dei a liberdade para conversarmos a respeito. Me falaram que me viram atuar nas Eliminatórias. Me mandaram uma proposta (em janeiro) e sentei com a minha família para avaliar, mas era para chegar antes (do fim do contrato) e disputar o Campeonato Paulista. Como o meu vínculo nos Emirados vai até agosto, agradeci e disse que não podia sair naquele momento. É importante deixar claro que fiquei muito agradecido pelo interesse e pela forma como o presidente Modesto conduziu as conversas. Foi uma conversa muito positiva e não tivemos nenhum tipo de desentendimento, muito pelo contrário. A impressão que ficou foi a melhor possível”, afirmou.

Atualmente no Alvinegro Praiano, o treinador Dorival Júnior tem o apreço do meia chileno, que teve a oportunidade de trabalhar com o comandante em 2014, ano em que o Palmeiras, à época sua equipe, livrou-se do rebaixamento para a Série B do Brasileiro na última rodada.

“Eu e o Dorival tivemos uma ótima relação no Palmeiras, ele confiou em mim naquele momento e sou muito grato por tudo o que ele me ofereceu. É uma grande pessoa, um excelente profissional e é claro que eu gostaria de trabalhar com ele novamente porque confiamos um no outro. Ele foi um dos poucos treinadores que reconheceu todo o esforço que fiz para jogar, mesmo não tendo condições. Além disso, revelou, publicamente, que eu entrei em campo lesionado. Já tive muitos técnicos que também viram esse mesmo esforço e não falaram nada, me deixaram sozinho em várias situações, mas isso eu prefiro guardar para mim. O Dorival fez o contrário, me elogiou para todo mundo ao dizer que eu não tinha condições de jogar e, mesmo assim, pedi para entrar em campo mesmo com os médicos dizendo que eu não deveria. Por essas e muitas outras razões seria muito legal poder trabalhar com ele novamente”.

Por fim, Valdivia ainda demonstrou respeito ao Palmeiras, porém, mesmo ciente de uma possível cobrança dos torcedores alviverdes caso defenda outro time brasileiro, o chileno não descartou retornar ao país para vestir outra camisa.

“Se eu atuar em outro clube no Brasil, sei que poderei ter alguns problemas, principalmente no começo, mas nada mudará o que vivi pelo Palmeiras. Eu mesmo já disse que não defenderia outro time no Brasil, mas também sou consciente de que a minha família depende de mim e que não podemos pensar somente no que os torcedores vão falar. Faço questão de repetir que tenho muito carinho e respeito pelos torcedores, mas a prioridade é a minha família. Eu vivo e trabalho para eles e se surgir uma boa possiblidade de retornar ao Brasil e eles estiverem de acordo, a decisão será tomada em conjunto pelo bem de nossa família”, completou.


Notícias

Futebol Brasileiro

Programação da TV

Fundamos o Esporte Interativo em 2007 para ser uma empresa dedicada a produzir e distribuir conteúdo esportivo em múltiplas plataformas e para estar perto do apaixonado por esportes, onde ele estiver. Por isso, falamos com a linguagem do torcedor, com paixão e emoção. Foi assim que escolhemos e nos orgulhamos dessa decisão, em todas as mídias que estamos presentes.

© 2014 ESPORTE INTERATIVO. Todos os Direitos Reservados.

Powered by WordPress.com VIP
;