Lutas

Marcaram, mas não chegaram; confira grandes lutadores que não conquistaram o título do UFC

Dan Henderson abandonou a lendária carreira sem conquistar o título do Ultimate; confira outros grandes lutadores que também não alcançaram o topo

Lutas POR Conteúdos Especiais

Por: Fernando Keller

MANCHESTER, ENGLAND - OCTOBER 08: Dan Henderson smiles while facing Michael Bisping of England in their UFC middleweight championship bout during the UFC 204 Fight Night at the Manchester Evening News Arena on October 8, 2016 in Manchester, England. (Photo by Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images)
(Foto: Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images)

No último sábado, Dan Henderson fez sua última aparição como lutador profissional de MMA. A lenda, que conquistou cinturões no PRIDE e no Strikeforce, abandona o esporte como um dos maiores de todos os tempos, mesmo sem conquistar o maior título possível: o cinturão do UFC.

Clique aqui e assista ao MELHOR do MMA nacional e internacional, AO VIVO e EXCLUSIVO

Hendo não é o único grande nome do esporte a não chegar ao cinturão. Confira na lista abaixo alguns exemplos de lutadores que, apesar de muita qualidade, não alcançaram o topo no Ultimate.

Pedro Rizzo

ATLANTIC CITY, NJ - MAY 04: (R-L) Pedro Rizzo kicks Randy Couture at UFC 31 on May 4, 2001 in Atlantic City, New Jersey. (Photo by Susumu Nagao/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images)
(Foto: Susumu Nagao/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images)

Considerado um dos maiores brasileiros a já entrar no octógono e marcado por seus potentes low kicks, Pedro Rizzo teve três oportunidades de conquistar o cinturão dos pesados, mas bateu na trave em todas elas, contra Kevin Randleman e Randy Couture, duas vezes.

Kenny Florian

HOUSTON, TX - OCTOBER 07: Kenny Florian weighs in at the UFC 136 weigh-in at the Toyota Center on October 7, 2011 in Houston, Texas. (Photo by Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images)
Foto: Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images

Hoje analista oficial do UFC, Kenny Florian é mais um exemplo de grande lutador que nunca chegou ao título, apesar de ter tentado mais de uma vez, em mais de uma categoria. Vice-campeão da histórica primeira edição do TUF, quando competiu entre os meio-médios, Kenflo disputou duas vezes o título dos leves e uma vez o dos penas, mas acabou derrotado por Sean Sherk, B.J. Penn e José Aldo, respectivamente.

Urijah Faber

Urijah Faber and Frankie Saenz in their bantamweight fight during UFC 194 on December 12, 2015 in Las Vegas, Nevada.
Foto: Steve Marcus/Getty Images

Entre os lutadores mais leves do Ultimate, Urijah Faber é sem dúvidas um dos que possui maior destaque. O California Kid até foi campeão no KOTC e no WEC, mas foi ainda nesta organização que sua sina começou. Após perder o título, tentou recuperá-lo mais duas vezes, mas foi derrotado por Mike Brown e José Aldo. No UFC, realizou quatro disputas de cinturão e perdeu todas, duas vezes para Dominick Cruz e duas para Renan Barão.

Chael Sonnen

BOSTON, MA - AUGUST 17: Chael Sonnen reacts after winning the fight with a tap out by guillotine choke against Mauricio Rua in their light heavyweight bout at TD Garden on August 17, 2013 in Boston, Massachusetts. (Photo by Jared Wickerham/Getty Images)
Foto: Jared Wickerham/Getty Images

Chael Sonnen pode ser um dos maiores falastrões da história do UFC, mas o fato é que ele poderia sim ter conquistado um cinturão na carreira, e chegou muito perto disso em duas das três oportunidades que teve de lutar por títulos. Na primeira, dominou Anderson Silva por quatro rounds e meio, mas acabou finalizado com um triângulo em uma das maiores viradas da história do esporte. Na segunda, foi nocauteado por Anderson ainda no segundo round. Na terceira, pela categoria dos meio-pesados, viu Jon Jones fraturar o dedo do pé no meio do primeiro round e, se durasse até o fim do round, seria campeão por interrupção médica, mas acabou sucumbindo aos socos e joelhadas do campeão, que terminou a luta a tempo.

Nick Diaz

MONTREAL, QC - MARCH 16: (R-L) Nick Diaz taunts Georges St-Pierre in their welterweight championship bout during the UFC 158 event at Bell Centre on March 16, 2013 in Montreal, Quebec, Canada. (Photo by Jonathan Ferrey/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images)
Foto: Jonathan Ferrey/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images

Outro lutador que integra a lista dos mais polêmicos da organização, Nick Diaz também construiu uma carreira que fez por merecer um cinturão do UFC. Campeão do WEC e do Strikeforce, Nick teve duas oportunidades de conquistar um título. Na primeira, pelo interino, foi derrotado por Carlos Condit em uma decisão muito controversa. Logo na sequência, enfrentou GSP pelo título linear, mas novamente foi derrotado.

Nate Diaz

LAS VEGAS, NV - MARCH 05: Nate Diaz reacts to his victory over Conor McGregor of Ireland in their welterweight bout during the UFC 196 event inside MGM Grand Garden Arena on March 5, 2016 in Las Vegas, Nevada. (Photo by Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images)
Fotos: Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images

Muitos consideram Nate até mais talentoso que seu irmão mais velho, mas assim como Nick, Nate não conquistou cinturões no UFC até o momento. Ao contrário de seu irmão, no entanto, teve apenas uma oportunidade, mas foi derrotado por Benson Henderson.

Chad Mendes

FAIRFAX, VA - APRIL 04: Chad Mendes celebrates after defeating Ricardo Lamas in their featherweight fight during the UFC Fight Night event at the Patriot Center on April 4, 2015 in Fairfax, Virginia. (Photo by Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images)
Foto: Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images

Chad Mendes pode ser considerado um verdadeiro azarado. Dono de um talento incontestável, mas calhou de viver a Era José Aldo. Mendes manteve-se invicto até enfrentar o brasileiro, naquela que seria sua primeira chance de conquistar o título do Ultimate, mas parou em uma joelhada certeira ainda no primeiro round. Dois anos depois voltou a enfrentar Aldo, dessa vez em uma das melhores disputas de cinturão da história, mas mais uma vez perdeu.

Teve, no ano passado, mais uma chance, dessa vez contra outro adversário, mas tão duro quanto Aldo. Enfrentou Conor McGregor pelo cinturão interino, teve um ótimo início de luta, mas sentiu a falta de preparação e mais uma vez bateu na trave.

Joseph Benavidez

LAS VEGAS, NV - MAY 23: Joseph Benavidez awaits the start of round two in his flyweight bout during the UFC 187 event at the MGM Grand Garden Arena on May 23, 2015 in Las Vegas, Nevada. (Photo by Christian Petersen/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images)
Foto: Christian Petersen/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images

Ex-desafiante ao cinturão dos galos do WEC, Joseph Benavidez apareceu como favorito absoluto, de maneira quase unânime, a conquistar o título dos moscas do UFC logo que foi anunciada a criação da categoria. Mal sabia que lá encontraria sua kryptonita: Demetrious Johnson. De 2010 pra cá, Benavidez possui apenas duas derrotas na carreira. As duas contra DJ. As duas em disputas de cinturão. É disparado o segundo melhor lutador da categoria, sobrando em relação aos outros, mas não consegue superar seu rival.

Ronaldo Jacaré

CURITIBA, BRAZIL - MAY 14: Ronaldo 'Jacare' Souza of Brazil celebrates after defeating Vitor Belfort of Brazil in their middleweight bout during the UFC 198 event at Arena da Baixada stadium on May 14, 2016 in Curitiba, Parana, Brazil. (Photo by Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images)
Foto: Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images

Fechando a lista, Ronaldo Jacaré tem uma característica diferente dos integrantes anteriores da mesma: ainda não teve nenhuma oportunidade de disputar o título, o que para muitos é uma grande injustiça. Aos 36 anos, já foi campeão do Strikeforce e, caso vença a próxima luta, contra Luke Rockhold, pode, finalmente, receber a chance contra Michael Bisping e deixar a lista.

Veja também: NOCAUTE DO ANO? Teve isso em evento de MMA nacional!


Notícias

Lutas

Programação da TV

Fundamos o Esporte Interativo em 2007 para ser uma empresa dedicada a produzir e distribuir conteúdo esportivo em múltiplas plataformas e para estar perto do apaixonado por esportes, onde ele estiver. Por isso, falamos com a linguagem do torcedor, com paixão e emoção. Foi assim que escolhemos e nos orgulhamos dessa decisão, em todas as mídias que estamos presentes.

© 2014 ESPORTE INTERATIVO. Todos os Direitos Reservados.

Powered by WordPress.com VIP
;